A iniciativa noturna que abre o museu com música ao vivo

Inovando em sua proposta programática e apostando na aproximação de novos e diversos públicos, na noite de sexta-feira, 5 de julho, o Museu Pré-colombiano abrirá as portas das 19h às 23h com entrada franca, visitas mediadas e música ao vivo. No primeiro dia os artistas Daniela Millaleo e Francisco Victoria se apresentarão, além de uma música ambientada pelo DJ Escobar.
Em uma linha permanente de trabalho, o Museu Pré-colombiano, através da área de Comunicações e Públicas, gerou diferentes instâncias de programação para famílias, idosos e comunidades migrantes e indígenas.
"Nesta nova etapa, o Museu Pré-colombiano é considerado uma instituição viva, aberta e diversificada. Queremos colocar em prática essa declaração de princípios, por isso desenvolvemos diferentes instâncias de participação e diálogo com o nosso público, buscando novas formas de realizar uma oferta cultural atraente o suficiente para ser relevante e essencial na vida das pessoas ", afirma. Paulina Roblero, Chefe de Comunicações e Assuntos Públicos.
A noite no pré-colombiano é possível graças ao apoio da SCD e reforça o compromisso fundador de tornar o Museu um espaço de encontro, que reconhece e valoriza a herança indígena presente em cada um de nós. Prolongar o horário de funcionamento visa facilitar o acesso do público que, devido à falta de tempo, não pode participar de atividades artísticas, culturais e patrimoniais.
Da mesma forma, Noche en el Precolombino tem como objetivo ativar um circuito no centro histórico de Santiago, dado o sucesso de iniciativas como o Paseo Peatonal Bandera e o Boulevard Gastronômico da Plaza de Armas.
A primeira Noche en el Precolombino contará com visitas mediadas por exposições do Chile antes do Chile e América Pré-Colombiana em Arte e apresentações ao vivo da cantora e compositora Mapuche Daniela Millaleo e do artista pop Francisco Victoria. Além disso, durante a noite haverá um set de música do DJ Escobar. No segundo dia, sexta-feira, 5 de julho, será a vez de Niña Storm, revelação dos prêmios Pulsar 2018, e do rapper Mapuche Waikil.
Essa travessia tem como objetivo gerar um novo elo com os criadores indígenas e, ao mesmo tempo, ser um espaço para a difusão de novos artistas.
Os próximos dias serão desenvolvidos a partir de setembro, com o desejo de incorporar diferentes estilos musicais e disciplinas artísticas, como os ciclos de teatro, dança e audiovisual.